Avançar para o conteúdo

Sul fecha janeiro com gasolina mais barata do país

  • por

O diesel da região segue a tendência nacional de alta

As bombas apresentaram as menores médias para todos os combustíveis no Paraná

De acordo com o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o Sul permanece na liderança dos combustíveis mais baratos entre as regiões na média nacional, com exceção do etanol (veja a tabela ao final desta reportagem). O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log.

A gasolina apresentou recuo de 1,9%, e o valor de R$ 6,723, cobrado em dezembro, passou para R$ 6,589. Mesmo com aumentos de 3,6% e de 3,7%, o diesel comum e o S-10 da região também tiveram as médias mais baixas. Já o etanol foi o segundo mais caro do país (R$ 6,032), mas apresentou a maior baixa no preço (-2,5%).

Ainda no recorte nacional, o Rio Grande do Sul continua figurando com a maior redução no valor da gasolina (5,5%), passando de R$ 7,032 para R$ 6,642; e para o etanol, que teve baixa de 5,5%, passando de R$ 6,983, comercializado em dezembro, para R$ 6,594 no fechamento de janeiro. Porém, no comparativo com os três estados do Sul, os postos gaúchos apresentaram as maiores médias para todos os combustíveis, incluindo o diesel.

As bombas apresentaram as menores médias para todos os combustíveis no Paraná. A gasolina fechou o mês estável, a R$ 6,545, com baixa de 0,02% em relação ao mês anterior. O etanol no estado apresentou queda de 2,4% e fechou a R$ 5,263. Apesar de manter a média mais barata de todo o território nacional para o diesel, o Paraná registrou a maior alta da do Sul para o combustível: 4%. Já os postos de combustíveis de Santa Catarina registraram estabilidade no preço da gasolina. O litro, que em dezembro estava a R$ 6,591, recuou 0,1% e passou a custar R$ 6,580.

“O Sul também acompanhou a tendência nacional de aumento no litro do diesel e registrou altas de mais de 3% no valor do combustível. Na relação 70/30, a gasolina segue como a opção mais vantajosa para os motoristas da região”, avalia Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

O diesel da região segue a tendência nacional de alta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.