Avançar para o conteúdo

JBS projeta reduzir emissões de metano na cadeia bovina

  • por

O suplemento nutricional será fornecido para bovinos confinados

Entre as ações para atingir o Net Zero, a JBS está investindo US$ 1 bilhão até 2030 para descarbonizar todas as operações diretas e indiretas

A JBS, segunda maior companhia de alimentos do mundo, firmou parceria com a Royal DSM, para implementar um projeto com a meta de reduzir a emissão de metano entérico bovino em escala mundial. Para alcançar o objetivo, a JBS utilizará o Bovaer, suplemento nutricional desenvolvido pela DSM para melhorar consideravelmente a pegada de gases de efeito estufa na cadeia de valor da produção de carne bovina.

Segundo a DSM, o desenvolvimento do Bovaer transcorreu por mais de uma década, por meio de 45 testes de longa duração em fazendas, em 13 países espalhados por quatro continentes, o que resultou em mais de 48 estudos publicados em revistas científicas independentes. No início de setembro de 2021, o Brasil foi o primeiro mercado a conceder a aprovação regulatória total para o Bovaer.

O Bovaer é adicionado à alimentação dos animais, com potencial de reduzir em até 90% as emissões entéricas de metano, como comprovado recentemente em um estudo australiano de confinamento de carne bovina. Um quarto de colher de chá do aditivo ao dia, por animal, inibe a enzima que ativa a produção do gás metano no estômago do ruminante. Segundo a DSM, o efeito é imediato e, se o uso for interrompido, a emissão de gases é retomada integralmente. A DSM e a JBS vão desenvolver em conjunto o plano de implementação do Bovaer na cadeia produtiva. O objetivo é promover uma transição da indústria global de carne bovina, liderada pela JBS, para obter, via nutrição, um caminho seguro para reduzir as emissões de metano.

“A estratégia de negócios da JBS é a sustentabilidade. Estamos desenvolvendo um grande plano de ação para a redução de toda a pegada de carbono da companhia, e essa parceria com a DSM vai contribuir não só com nossos planos, mas com todo o setor nesta complexa questão das emissões de metano”, avalia Gilberto Tomazoni, CEO Global da JBS, em nota enviada ao Portal AMANHÃ.

Para alcançar essa meta em escala global, a JBS e a DSM definiram um cenário de ponta a ponta para desenvolver, construir e testar o suplemento nas operações da JBS. Inicialmente, o suplemento nutricional será fornecido para bovinos confinados. Após seis meses, os testes serão expandidos para um segundo mercado, que pode ser a Austrália ou os Estados Unidos, duas das maiores operações da JBS no mundo.

O plano contempla o desenvolvimento de metodologias para criar ferramentas de avaliação ao longo de todo o ciclo da cadeia da JBS, com a participação técnica de instituições acadêmicas e de pesquisa.

Compromisso Net Zero 2040
A parceria com a DSM para a redução do metano na cadeia de valor faz parte de um plano maior. Em março de 2021, a JBS assumiu o compromisso Net Zero 2040, ou seja, de zerar o balanço líquido de suas emissões de gases causadores de efeito estufa até 2040.

Entre as ações para atingir o Net Zero, a JBS está investindo US$ 1 bilhão até 2030 para descarbonizar todas as operações diretas e indiretas e mais US$ 100 milhões em pesquisa para desenvolver soluções que tornem a agropecuária cada vez mais sustentável. A companhia também atrelará o bônus dos executivos às metas climáticas.

Para a redução do metano na cadeia da pecuária, a JBS tem trabalhado também com outras soluções, como uma em parceria com o Instituto de Zootecnia da secretaria de agricultura e abastecimento de São Paulo.

Quer saber mais sobre sustentabilidade?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

O suplemento nutricional será fornecido para bovinos confinados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.