Avançar para o conteúdo

Em busca da plena sustentabilidade

  • por

O projeto BioCMPC tornará a planta de Guaíba uma das mais sustentáveis do Brasil

A CMPC deseja fazer da unidade industrial em Guaíba (RS) uma das mais sustentáveis do Brasil no setor de celulose. Para isso, a multinacional chilena lançou o projeto BioCMPC. Ele prevê a implantação de importantes investimentos em modernização operacional, além de novas medidas de controle e gestão ambiental.

O BioCMPC gerará um relevante ganho no desempenho da unidade de Guaíba, por meio do aumento de aproximadamente 18% da capacidade produtiva, quando comparado aos resultados dos últimos doze meses. Essas medidas elevarão a planta gaúcha da CMPC para a condição de uma das mais sustentáveis do Brasil, quando considerados parâmetros como gestão de resíduos, tratamento de efluentes, emissões atmosféricas, sistemas de tratamento de gases e gestão ambiental. A conclusão da obra deve ocorrer em dezembro de 2023. Com aporte de R$ 2,7 bilhões, a previsão é que sejam criados aproximadamente 7,5 mil novos postos de trabalho durante a execução das obras, e que cerca de metade dos fornecedores sejam empresas locais, tornando o projeto o maior investimento em ESG do Rio Grande do Sul e proporcionando uma grande geração de valor compartilhado com as cadeias produtivas nacionais.

Esse é o segundo maior investimento privado da história do estado – ficando atrás somente da criação de Guaíba 2, linha de produção de celulose da CMPC que teve sua implantação concluída em 2015. No BioCMPC, as obras de implantação também serão sustentáveis. Além da priorização de mão de obra e fornecedores locais, evitando migração de pessoas de fora, o principal canteiro de obras ficará distante da área da empresa. “Antes a sociedade esperava que as empresas trabalhassem para reduzir seus impactos. Hoje em dia isso é apenas o ponto de partida. No século 21, a sociedade espera que as empresas não gerem problemas e ainda ajudem a sociedade a superarem seus próprios desafios. E é isso que estamos fazendo. Basta considerarmos que a pandemia agravou os índices de desemprego e o BioCMPC vai ajudar fortemente na criação de novas oportunidades de trabalho. Outro desafio de toda a sociedade está relacionado aos gases de efeito estufa. Nesse caso, além das nossas florestas que já sequestram milhares de toneladas de carbono, eliminaremos uma fonte de energia não renovável e vamos instalar uma nova caldeira de recuperação para produção de energia 100% limpa”, detalha Mauricio Harger, diretor-geral da CMPC no Brasil.

O projeto BioCMPC tornará a planta de Guaíba uma das mais sustentáveis do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.