Avançar para o conteúdo

Vai a leilão maior terreno disponível na Cidade Industrial de Curitiba

  • por

Imóvel que abrigou a sede das Indústrias Químicas Carbomafra tem 240 mil metros quadrados

O imóvel pode ser destinado a diversos tipos de empreendimentos, como transportadoras, condomínios empresariais e centros de distribuição

Vai a leilão na quarta-feira (8) o terreno que abrigou a sede das Indústrias Químicas Carbomafra na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Em junho de 2018 a empresa já acumulava um passivo da ordem de R$ 160 milhões. Com 240 mil metros quadrados, essa é a maior área disponível para venda na CIC, o maior distrito industrial do Paraná. O imóvel tem lance inicial de R$ 50,4 milhões e caso não seja vendido será leiloado novamente no dia 15. O leilão é de responsabilidade da Nogari Leilões, organização leiloeira que acumula 50 anos de experiência na área.

Este será o último ativo a ser vendido de um patrimônio que envolvia grandes áreas urbanas e rurais localizadas na capital e em Rio Negro, no Sul do Paraná, e em Mafra, em Santa Catarina. Em leilão anterior, foi batido o martelo e consumada a venda de todo o maquinário da fábrica de Curitiba, deixando o imóvel livre para o ingresso de novo proprietário.

Por estar situado em um ponto estratégico, o imóvel pode ser destinado a diversos tipos de empreendimentos, como transportadoras, condomínios empresariais e centros de distribuição. Localizado na Rua Wiegando Olsen, número 2.540 – CIC, o terreno fica próximo à Refinaria da Petrobrás, com acesso facilitado às saídas rodoviárias para São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, bem como para o interior do Paraná, e a cerca de 1h20 de viagem do Porto de Paranaguá.

“É uma área plana, com acesso em três laterais, muito bem localizada em termos de logística, e de frente para a Rodovia do Xisto, o que faz do imóvel uma verdadeira ‘vitrine’. Na CIC, atualmente, não há área semelhante disponível para venda”, comenta o leiloeiro Jorge Nogari, que também destaca como diferenciais o preço e as possibilidades de pagamento.

Segundo Nogari, o metro quadrado tem sido comercializado na região por valor que varia de R$ 300 a R$ 350. No leilão, o preço ofertado está na casa dos R$ 200 por metro quadrado. Além disso, enquanto outros certames do gênero costumam exigir pagamento à vista, a Justiça autorizou o parcelamento para o procedimento organizado pela Nogari Leilões. Assim, o pagamento poderá ser realizado com entrada de 20% do valor e saldo em até 36 meses. Sobre as parcelas não incidirá juro bancário, apenas correção dos valores pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Função social

Por se tratar de um leilão de massa falida, o valor arrecadado será destinado ao pagamento de dívidas da Carbomafra junto a antigos funcionários e fornecedores, assim como referentes a impostos e financiamentos, entre outros credores. A venda do imóvel, portanto, tem como função a restituição a pessoas e empresas que aguardam o encerramento do processo falimentar para que possam receber seus créditos.

“Precisamos destacar também que nos casos de leilão de massa falida o imóvel é entregue ao novo proprietário livre e desembaraçado de quaisquer ônus pendentes, conforme determina a lei falimentar, como se tivesse sido registrado em matrícula pela primeira vez. É o que chamamos de aquisição originária”, reforça Nogari.

Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem participar do leilão. Para tanto, é preciso se cadastrar com ao menos 48 horas de antecedência na plataforma, onde também está disponibilizado o edital com todos os requisitos e regras referentes ao certame: www.nogarileiloes.com.br. O procedimento será realizado de forma totalmente eletrônica, de acordo com decreto do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR).

Imóvel que abrigou a sede das Indústrias Químicas Carbomafra tem 240 mil metros quadrados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.